Para abrir um SITE de facas antigas de cutelaria fina no Rio Grande do Sul, Estado que orgulhosamente reúne os melhores Colecionadores do Brasil, nada melhor que um breve relato sobre os 86 anos de atividades da
SCHOLBERG & CIA.

De 1.850 a 1.936

CASA LAPORT, cuja razão social era VIÚVA LAPORT & CIA. empresa estabelecida à Rua Andrade Neves, 148 em Pelotas-RS. Em 1850 firmou contrato de representação com SCHOLBERG & CIE, empresa BELGA estabelecida a Avenie Roger nº 6 na cidade de LIÉGE. A SCHOLBERG & CIE era especializada no comércio e exportação de artigos de cutelaria, armas e munições, artigos de bazar e ferragens. De 1854 a 1882, com o falecimento da VIÚVA LAPORT o Sócio ALEXANDRE GADET alterou a razão social para SCHOLBERG & GADET. Nesse período nem todas as lâminas traziam estampada a logomarca Coqueiro. De 1882 a 1894, após o falecimento de ALEXANDRE GADET a razão social da empresa passou a SCHOLBERG, JOUCLA & SILVA.

Na época LEOPOLDO JOUCLA era importador de vinhos e Vice-cônsul da França. A partir desse período todas as lâminas traziam como logomarca um COQUEIRO. De 1894 a 1907, a denominação social, após a retirada do Sócio SILVA, passou a SCHOLBERG & JOUCLA. De 1907 a 1936 a razão social passou a SCHOLBERG & CIA., sendo Sócios da Empresa a Sra.CLEMENTINE SUEYDER SCHOLBERG e os Srs. EUGÊNIO BELMONDY e JOÃO H. JACOTETT. Foi a melhor fase da empresa.

Em quase um século de atividade a SCHOLBERG, cuja logomarca era um coqueiro em pé ou deitado, importou milhares de lâminas de facas, facões, punhais, espadas de caça, sabres, adagas e algumas remessas de canivetes. Sempre caracterizados por produtos de excelente qualidade importados da Alemanha, Bélgica e França.

A SCHOLBERG teve representações em Rosário de Santa Fé na Argentina, denominada BROQUA SCHOLBERG & CIA, e Montevidéu no Uruguai com a denominação de BROQUA & SCHOLBERG. Muitas das facas importadas por BROQUA & SCHOLBERG de Montevidéu encontram-se em mãos de Colecionadores Brasileiros. Mas é raríssima a faca importada por BROQUA, SCHOLBERG & CIA., da Argentina, em mãos de Brasileiros. Com a fama adquirida ao longo dos 86 anos de atividades, os artigos de cutelaria da SCHOLBERG Brasileira, Uruguaia e Argentina, pela qualidade, são muito procurados e adquiriram alto valor de mercado.

Hoje são necessários cuidados especiais para aquisição dessas peças dado o grande número de falsificações. Nem mesmo os mais hábeis desses inescrupulosos falsificadores conseguem enganar o Colecionador atento ou profissional competente habituado a nomenclatura dos aços utilizados na época. A proliferação dessas peças falsificadas é tamanha que por informações dos lesados já é possível identificar suas origens.


FACAS, FACÕES E ADAGAS BESOURO E FORMIGA
Duas marcas que são as grandes paixões dos Gaúchos.


Produzidas na década de 30, forjadas com carbono alto teor, essas duas marcas assemelham-se em qualidade. Eram ferramentas para qualquer atividade do cotidiano, conquistaram o homem do campo e logo passaram a ser disputadas por Churrasqueiros e Colecionadores da cidade. Mesmo quem possui peças de cutelaria fina internacional não deixa de ter em seu acervo exemplares da Formiga e Besouro.

Estas também tem sido objeto de falsificações, notadamente na fronteira oeste do Estado, zona da campanha divisa com Uruguai e Argentina, com grandes incidências em Uruguaiana, Santa Maria, Rosário do Sul e Bagé.

É fato lamentável, pois nessas regiões os Gaúchos costumam andar
pilchados a rigor e ostentar na cintura facas e adagas dessas duas marcas.

Mas são as facas e facões da marca Touro (Hans Wolf) as peças mais valiosas e mais disputadas pelos Gaúchos. Foram produzidas por Dobradores de Solingen, são rústicas, robustas e raras.

J. A. Henckels Co. - Zwilling
A pérola da cutelaria internacional

É hoje uma das fábricas mais antiga de Solingen em atividade.Já em 1731, Johann Peter Henckels registrou a logomarca ZWILLING (gêmeos).

Nos 274 anos de atividades de J. A. HENCKELS houve seis
mudanças da logomarca da empresa.



É das empresas mais premiadas em exposições internacionais. Em 1939 inventou e patenteou o processo FRIODUR ( aço gelo endurecido). As peças mais valorizadas são as antigas, forjadas em ligas de aço com alto teor de carbono. Possuem fio inigualável de excelente dureza e alta resistência em camadas finíssimas, capazes de chegarem a fio de navalha.

MARCAS FAMOSAS MAIS CONHECIDAS
SOLINGEM /ALEMANHA

J. A. HENCKELS - ZWILLING - GÊMEOS
GEBR. WEYSBERGER (CORNETA)
HERDER
FRIEDRICH HERDER ABR. & SOHN
RICHARD HERDER
HEINRICH BÖKER & CO. (ARBOLITO)
EDWARD WÜSTHOF (Dreizack Werk – Trident)
HANS WOLF ( TOURO )
LUCKHAUS & GUNTHER – REMSCHEID
GÜSSSTAHL
PUMA WEK & SOHN
DFUTSCMEWARE ( Touro )
BLECK MANA
FEISNTAL
S 525
C.J.HERBERTZ
ERNST E. WITTE ( KRONECK )
SOLWA
E. BONSMANN
CHAVE DE BREMEM
DREITURM – J.A.SCHMIDT & SÖHNE
ALEXANDER COPPEL
KORF & HONSBERG - REMSCHEID
WIDDER
HARTMANN
F. DICK
H.K.W. – HENCKELS – HAMMESFAHR



SHEFFIELD/ INGLATERRA
MARCAS INGLESAS MAIS CONHECIDAS

JOSEPH RODGERS & SONS
JAMES RODGERS & SONS
WILKINSON OLD RAM – OLDRAM
HORSEMAN
STELLA WORKS
ROBISORBY
JOHN BUY & CO.
BALL BROTHERS SUCÇEX
TORRE DE HÉRCULES

Destaque para as marcas reais Inglesas JOSEPH RODGERS e
JAMES RODGERS, cujas peças projetam o melhor estilo da cutelaria fina
da nobreza Inglesa. As facas forjadas, no estilo BOWIE, com espessura de
até 6 mm. com cabos de chifre de cervo ou marfim, muito utilizadas por
Caçadores, alcançam alto valor comercial no mercado de cutelaria fina.

MARCAS REAIS INGLESAS
(usadas nas facas de Joseph Rodgers & Sons)
CUNHO
REINADO(S) DE
PERÍODO
George II, III e IV
anterior a 1830
William IV
1830 - 1837
Victória
1837 - 1901
Edward VII
1901 - 1910
George V e VII
1910 - 1952

As laminadas de uso doméstico, os faqueiros, e os trinchantes pela qualidade, designe e requinte refletem o esplendor da aristocracia da época. A RODGERS produziu de 1.830 a 1956, aproximadamente. Outra fábrica que merece destaque especial é a WILKINSON que iniciou atividades em 1.772, fabricando espadas e armas de fogo. Em 1.804 lhe foi conferido o título de Armeiro Real, quando passou a fabricar as espadas do Reino Inglês. As Espadas WILKINSON combateram Napoleão e os Russos na Guerra da Criméia. A partir de 1.887 começou a fabricação de navalhas de altíssima qualidade e outros artigos de Cutelaria.

FACAS DE TESOURAS DE TOSQUIA

Tesouras de tosquiar, esquilar ou tosar, denominações dadas as tesouras utilizadas no corte da lã de ovelhas. Há mais de século essas tesouras foram empregadas na tosquia de ovelhas no Rio Grande do Sul. Por seu clima frio e boas pastagens de campo nativo o Estado possui o maior rebanho de ovelhas do País e o maior acervo de tesouras de tosquia. Substituídas por modernas máquinas de tosquiar foram esquecidas nos galpões das fazendas.

Dos galpões das Estâncias para a cintura dos Gaúchos.

Há muito tempo, de forma artesanal, essas antigas tesouras passaram a ser transformadas em facas por ferreiros e artesãos cuteleiros da zona da campanha no interior do Estado. As tesouras importadas, produzidas com aço carbono de alto teor, com ligas semelhantes as encontradas nas facas Inglesas e Alemãs da época, despertaram o interesse de Cuteleiros qualificados que passaram a transformá-las em facas de excelente qualidade.

Destaque especial na Cutelaria Gaúcha.

A transformação das tesouras em facas é tarefa trabalhosa e requer bons conhecimentos na área de Cutelaria. No seu formato original tem curvatura no sentido da ponta e do dorso para o fio e não apresenta toda a dureza que essa nomenclatura de aço pode oferecer, por desnecessário para tesouras.

Na transformação precisam ser:

1- destemperadas 2- batidas
3- recortadas 4- formatadas
5- retemperadas 6- polidas
7- encabadas 8- Afiadas


Os antigos métodos de tempera, substituídos por tratamento térmico em modernos fornos permitem que os aços das tesouras Inglesas e Alemãs atinjam de 57 a 59 HRC. Um disperdício para um material de qualidade em extinção. No processo artesanal rudimentar são aquecidas, batidas e recortadas a esmeril, destemperando e tornando-as inadequadas ao uso. As tesouras produzidas no Brasil, Uruguai e Argentina não possuem a mesma qualidade, razão pela qual não faremos referência a nenhuma marca.

TESOURAS ALEMÃS MAIS CONHECIDAS

Gebr. Weyersberger Corneta Solingen
< 1.890
Gebr. Weysrsberger Cabeça coroada Solingen
< 1.890
Gebr .Weysrsberger Três lanceiros Solingen
< 1.890
J. A. Henckels Willing Solingen
< 1.742
Herder Candelabro Solingen
< 1.890
Chave de Bremem Chave Germany
< 1.792
Cocaco Germany
< 1.890
Duas espadas cruzadas Sem inscrição Solingen
< 1.890
Richard A. Herder Solingen
< 1.890
Güssstahl Garantirt Germany
< 1.890
Friedrich Herder Abr.Sohn Solingen
< 1.890
Korf & Honsberg Germany
< 1.890
H.A.Livramento Solingen
< 1.890
Luckhaus & Günther Remscheid
< l.880
S 525 Espada Solingen
< 1.890
W. Germany Martelo e Torques Germany
< 1.880


OUTRAS MARCAS DE QUALIDADE

Scholberg & Cia Coqueiro Bélgica
< 1.907
Broqua & Scholberg Sol Bélgica
< 1.907
Broqua & Scholberg Sol England
< 1.915
Col Cutos USA
< 1.900
Cecco Itália
< 1.900
Boker USA
< 1.904

TESOURAS INGLESAS MAIS CONHECIDAS

Burgon & Ball Sheffield
< 1.880
Hunter S M Sheffield
< 1.880
Bawson Brothers Sheffield
< 1.890
Cast Steel W.x P. Ward Sheffield
< 1.895
Improved W.x P. Ward Sheffield
< 1.895
Garranted Cast Steel Ward Sheffield
< 1.895
Chas Masghwitzjung Birmingham
< 1.880
Jonh Buy & Cº Ltª Fawres Shefield
< 1.890
Reuss & Cº Mazzeppa Sheffield
< 1.900
Sheperd Boy
< 1.880
Success Ball Brother Shefield
< 1.900
Sound O tambor
< 1.910
Torre de Hércules
< 1.900
Oldram W.W. Wilkinson Gelsea
< 1.887
Solid Steel – Walter Wilkinson Gelsea
< 1.887

Observação: As tesouras SHEFFIELD sem a inscrição ENGLAND
foram produzidas entre 1.830 a 1.890. Não há exatidão absoluta nas datas de início e término de produção de tesouras das marcas aqui mencionadas.




 

 

A Cia das Churrasqueiras especializada em cutelaria fina internacional e acessórios para churrasqueiras para facilitar o acesso a Loja Virtual disponibiliza mais dois sites de segmentos específicos, a saber:

www.facasantigas.com.br

- Compra e venda de artigos antigos de cutelaria.
- Serviços de encabamentos e restaurações.
- Serviços de polimentos, afilamentos e afiações.
- Certificação da legitimidade das peças, época de fabricação, tipo e dureza dos aços.


www.cutelariafinainternacional.com.br
- Compra e venda de peças novas e usadas de cutelaria fina nacional e importada.
- Facas campeiras Gaúchas, industrializadas e artesanais.
- Facas linha profissional.
- Facas personalizadas para brindes de Empresas.
- Linha completa de acessórios para churrasqueiras.
- Cuias e bombas de chimarrão em prata e ouro.
- Churrasqueiras rotativas, doméstica e profissional.
- Churrasqueiras sem fumaça a carvão, para apartamentos.
- Encabamentos, restaurações, polimentos e afiações.
- Certificação quanto a legitimidade das peças, época de fabricação, tipos e dureza dos aços e suas aplicações.

www.solingen.com.br

- Compra e venda de artigos de Cutelaria, novas e antigas produzidas na Alemanha, notadamente em Solingen.
- Facas de tesoura de tosquia produzidas na Alemanha.
- Serviços de encabamentos e restaurações de facas.
- Serviços de polimento, afilamento e afiações.
- Certificação de legitimidade das peças.
- Orientação dos tipos de aço, dureza e suas aplicações.


COMO CONSERVAR E AFIAR PEÇAS DE CUTELARIA

Toda a peça de cutelaria requer cuidados especiais para apresentação,
manutenção e conservação. A afiação adequada, além de facilitar as tarefas,
prolonga a vida útil do utensílio.

Com a experiência adquirida no trato desses materiais para mantê-las
apresentáveis nas vitrines das nossas lojas, ou na readaptação dessas peças ao ambiente natural após passarem por restaurações, afilamentos, lixações e polimentos em nossas oficinas, temos a certeza de podermos ajudar com algumas dicas que consideramos importantes.

Vamos, para essas finalidades, numa primeira etapa, dividir em três tipos básicos os materiais empregados na confecção dessas peças:

1) Ligas Rostfrei
2) Aço inox
3) Aço carbono

Ligas Rostfrei

São ligas com alto teor de cromo utilizadas na confecção de facas e outros materiais de corte. Apresentam alta resistência a corrosão, sendo necessários apenas lavá-las e secá-las sempre que utilizadas.
Ao lavar qualquer faca polida não use palha e esfregão de aço, nem mesmo o lado abrasivo das esponjas, estes arranharão as peças.

Aço Inox

Utilizados em larga escala desde 1.904, requer cuidados especiais, embora apresente resistência a oxidação. Lembre-se, inox puro não tempera, há adição de carbono nas lâminas,o que torna necessário mantê-las limpas, sêcas e guardadas em locais adequadas, livres de umidade. Cuidado com as marcas dos dedos nas lâminas, estes contém sal e gordura e podem oxidar os materiais. Use bainha de couro de boa qualidade.

Aço Carbono

É o aço utilizado na produção de facas, facões e cutelos destinados a serviços pesados. Detém a preferência do homem do campo e de outros profissionais que necessitam de um produto robusto de alta resistência a impactos. Mas requerem cuidados especiais de manutenção e guarda. Neste caso nossas dicas já começam pelas bainhas que deverão ser
confeccionadas com couros de boa qualidade, preferencialmente curtidos a cromo que neutralizam totalmente o sal. Essas peças deverão ser guardadas em bainhas, caixas ou estojos ou oxidarão expostas ao oxigênio e a umidade do ar.
Para peças usadas exporadicamente recomendamos, após lavadas e secas, untá-las com camada fina e uniforme de vaselina líquida, após esse procedimento deverão ser enroladas em pvc filme e colocadas nas bainhas. Convém verificar que marcas de dedos tenham sido removidas das lâminas e o pvc não tenha rompido ao colocá-las nas bainhas.

Para colecionadores e comerciantes, com grandes quantidades de peças, recomendamos o verniz AF-104 antioxidante da Subirós ou algum similar, outra opção é o óleo DW 801 da Ruscillo.


AFIAÇÃO

Adquira peças de cutelaria afiladas e afiadas, é fácil manter fio, mais difícil é fazê-lo. Para melhor orientá-los começaremos pelo que não deve ser feito:
a) Jamais confie suas peças a quem afia com esmeril elétrico.

b) Nunca use lima ou pedra muito abrasiva.
c) Nunca deixe e fio engrossar demais, afie antes.

Algumas dicas para conservação de fios e afiações.

Use preferencialmente a chaira, como é conhecida no sul do País, ou amolador ou afiador como é conhecida em outros Estados. Use a chaira pelos dois lados, atritando com leve pressão, sempre no sentido da ponta para guarda. Use chairas de bom tamanho, no mínimo 8” e no máximo 12”.

O ângulo de afiação depende do tipo de afilamento das facas e a sua
verificação é visual, pois somente com o ângulo correto é possível afiar.
Quando confiadas a profissionais que afiem com utilização de lixas cinta, que é o método mais indicado, solicite para suas facas o emprego de grana fina, no mínimo 300, o fio já sairá polido.

Existem diversos tipos de afiadores no comércio, peça demonstração ao vendedor e acerte na escolha.



 

© Copyright 2004 Solingen • Todos os direitos reservados • Desenvolvido por NewsTime